Você está aqui: Início » Doenças » Hipertermia em cachorros

Hipertermia em cachorros

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A temperature do seu cão também precisa ser alvo da sua preocupação em algumas situações específicas, mas é cada vez comum nos depararmos com pessoas que não sabe o que é a hipertermia em cachorros!

Talvez esse seja o seu caso, e se sim tudo bem, porque muitos tutores desconhecem esse tipo de quadro e normalmente isso se dá porque nunca tiveram que lidar com o cão nesse estado!

Sendo assim, a seguir nós vamos definir o que é a hipertermia em cachorros, como ela pode ser diagnosticada e claro, quais são as suas causas e de que maneira deve ser solucionada. Vem conferir as nossas dicas e se surpreender com cada uma delas!

Entenda o que é a hipertermia em cachorros

Em muitos casos percebemos que a temperatura externa acaba influenciando no estado físico dos animais, e isso pode ser um perigo. É por esse motivo que a hipertermia em cachorros deve ser alvo de preocupação.

Ela acontece justamente quando o cão tem a sua temperatura corporal muitíssimo elevada, e isso é arriscado porque traz enormes desconfortos, mas também porque em casos mais graves pode levar o seu animal a óbito!

É claro que existem casos em que a temperatura aumenta e nada acontece, mas se ela fica muito mais elevada do que o usual (passando os 40 graus) é melhor correr para o veterinário, para apresentar o seu pet e tentar entender junto ao profissional o que está acontecendo!

Vale dizer que algumas raças costumam apresentar mais incidência de hipertermia do que as demais. É o caso das que contam com focinho curto e que tem um porte maior.

Ainda assim, isso não significa que você não deva se preocupar se o seu cão tiver focinho longo e for de pequeno porte, porque certas atividades podem acabar colocando-o em risco, como por exemplo a prática de exercícios quando se está debaixo do sol quente ou em uma temperatura mais abafada!

Quando você coloca o seu cãozinho em situações assim nem mesmo hidratá-lo ao máximo vai resolver, porque essa medida não fará com que a sua temperatura corporal interna diminua!

Agora, para você não tomar atitudes que acabem prejudicando o bem-estar e a saúde do cão é fundamental que você as conheça, então nós vamos apresentá-la a seguir para você:

  • Não deixe o seu cão exposto a temperaturas muito altas;
  • Cuide para que o seu animal não se torne obeso;
  • Não obrigue o seu bichinho a fazer exercício demais, especialmente se o clima estiver muito quente, ou muito úmico;
  • Preste ainda mais atenção a hipertermia se o seu animal está idoso;
  • Jamais deixe o seu cão dentro do carro, afim de cumprir outras atividades específicas! Vale apontar que essa medida é perigosa porque o carro fica quente muito rapidamente, e é possível que seu cachorro acabe indo a óbito rapidamente;

Conheça os sintomas da hipertermia em cachorros

Não é só a temperatura elevada do corpo que permite que você identifique se seu cachorro está ou não está com um quadro de hipertermia. Existem outros sintomas que precisam ser considerados, e se eles se combinarem é melhor correr para o especialista que cuida do seu melhor amigo. São eles…

  • A respiração ofegante e super difícil;
  • A salivação exagerada, com uma textura muito grossa;
  • Os vômitos recorrentes;
  • A diarreia crescente;
  • A língua na cor azul;
  • As tonturas;
  • A confusão mental;
  • Um tipo de andar mais cambaleante;
  • O olhar vidrado;
  • A extrema fraqueza;
  • A forte tremedeira;
  • As convulções;

Conheça as raças que correm mais risco de apresentar episódios de hipertermia

Raças com o focinho mais curto (também chamadas de branquicéfalas) costumam correr mais risco de sofrer com hipertermia. Quanto mais achatado for o focinho mais difícil vai ser para esses animais levarem ar fresquinho até os pulmões! As raças mais afetadas são o Pug, o Buldogue e o Shih Tzu, mas existem outros!

Além disso, cães muito jovenzinhos ou muito velhos, que já estão doentes, que sofrem de cardiopatias e apresentam problemáticas respiratórias prévias também correm mais risco de ter a hipertermia em cachorros. O mesmo vale para aqueles que tem um pelo muito espesso e que vivem fazendo atividades que os colocam sob mais estresse!

Descubra como resolver o problema da hipertermia no seu cão

Talvez você pense que a melhor forma de resolver a questão da hipertermia no seu cachorro é justamente dando um banho de água bem fria, mas isso pode fazer com que o seu pet entre em choque térmico, e isso é perigosíssimo para a sua saúde a curto, médio e longo prazo!

A principal dica sobre esse tipo de quadro é tirar o seu animal do local que está fazendo-o passar tanto calor. Enrolá-lo em uma toalha molhada com água fria também pode colaborar para uma mudança gradual e, portanto, segura da temperatura!

Outra possibilidade é usar um spray com água gelada, afim de resolver o problema ainda dentro de casa, fazendo a manutenção da hidratação, para que o seu bichinho vá se recuperando aos poucos de todo o sofrimento que viveu!

Agora, lembre-se: se o seu cão já está com a temperatura muito elevada há algum tempo e vários outros sintomas aparecem, como a fraqueza e os olhos vidrados é primordial que você não perca mais tempo e corra para o veterinário mais próximo, porque só assim você poderá garantir a manutenção do bem-estar, e em alguns casos mais extremos a sobrevivência do seu animal!

É lógico que muitas vezes pensamos que vai melhorar, que não precisamos nos preocupar tanto, e no fim temos que encarar a certeza de que a situação era mais grave do que pensávamos. Indo por essa linha de raciocínio o ideal é sempre que você vá ao médico do seu melhor amigo assim que o caso ficar mais complicado do que imaginava, pelo próprio bem dele!

Como você pode ver a hipertermia em cachorros é bem mais comum do que gostaríamos de imaginar, mas seguindo as nossas dicas você com certeza vai resolver o problema sem nenhuma delonga!


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas