Você está aqui: Início » Doenças » Hérnia umbilical em cachorro

Hérnia umbilical em cachorro

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As hérnias umbilicais não são incomuns nos filhotes. A boa notícia é que são facilmente tratáveis ​​e, muitas vezes é possível detecta-las cedo. Veja tudo o que você precisa saber sobre Hérnia umbilical em cachorro:

O que é uma hérnia?

A hérnia ocorre quando órgãos abdominais ou tecido adiposo se projetam através de um ponto fraco no músculo ou no tecido conjuntivo.

A gravidade da hérnia depende do tamanho do defeito na parede abdominal. Em sua forma mais benigna, uma pequena quantidade de gordura abdominal pode se projetar intermitentemente do buraco e ser facilmente colocada de volta com um pouco de pressão.

Em sua forma mais grave, os intestinos ou outros órgãos abdominais podem atravessar o orifício, comprimindo o suprimento de sangue e essencialmente estrangulando o órgão.

Nestes piores cenários, as hérnias podem tornar-se potencialmente fatais em um curto período de tempo. Entretanto, mesmo hérnias de grande extensão podem ser tratadas com sucesso se o diagnóstico for feito antes que o órgão seja comprometido.

O que é a hérnia umbilical?

Antes do nascimento, os vasos sanguíneos umbilicais passam pelo anel umbilical (uma abertura nos músculos abdominais) para alimentar o feto em desenvolvimento. Uma hérnia umbilical é causada pelo fechamento incompleto desse anel após o nascimento.

Existem outros tipos de hérnia?

As hérnias umbilicais não são o único tipo de hérnia que podem ser observados em cães, sendo os outros tipos mais comuns:

  • Inguinal

O canal inguinal é uma abertura na região da virilha através da qual os testículos descem. Tanto os machos como as fêmeas têm um canal inguinal e podem sofrer de hérnias inguinais.

  • Diafragmático

O diafragma é a grande lâmina de músculo que separa a cavidade torácica do abdômen. Embora traumas e defeitos congênitos possam causar defeitos em qualquer ponto ao longo do diafragma, existem dois subtipos específicos de hérnia diafragmática que são conhecidos como defeitos congênitos em filhotes:

O Hiatal: o hiato é uma abertura no diafragma em que o esôfago, que leva a comida da boca até o estômago, passa do tórax para o abdômen. Se a abertura for maior do que deveria, o estômago pode começar a inchar na cavidade torácica.

O Peritoneopericardial: refere-se a uma abertura entre o peritônio (uma membrana que reveste a cavidade abdominal) e o pericárdio (o saco que envolve o coração). Isso resulta de um problema embriológico durante o desenvolvimento e é a forma mais comum de defeito pericárdico congênito no cão.

O que causa hérnia umbilical em cães?

As hérnias podem ser congênitas (ou seja, o filhote nasceu com a doença) ou adquiridas por trauma, doença ou envelhecimento. Hérnias congênitas são a causa mais comum observada em cães jovens. Podem ser o resultado de um problema espontâneo durante o desenvolvimento ou um defeito genético transmitido por um dos pais.

O trauma é a outra causa comum de hérnia em cachorros. O traumatismo contuso, como ser atropelado por um carro ou qualquer tipo de golpe na parede do corpo, pode causar uma ruptura na parede abdominal ou no diafragma, permitindo a hérnia de órgãos abdominais.

Quais são os sinais de uma hérnia?

Em muitos casos, com uma pequena hérnia não complicada, consistindo apenas de uma pequena quantidade de gordura abdominal, o dono pode nem notar nada ou apenas sentir uma pequena bolha na região do umbigo. À medida que a hérnia se torna maior e órgãos mais vitais são comprometidos, os sinais podem ser os seguintes:

  • Dor
  • Vômito
  • Falta de apetite
  • Grande massa no abdômen ou na virilha
  • Dificuldade em urinar
  • Tosse
  • Dispneia (dificuldade respiratória)
  • Arritmia cardíaca

Como as hérnias são diagnosticadas?

As hérnias umbilicais frequentemente podem ser diagnosticadas por palpação durante um exame físico, embora exames de imagem possam ser necessários para confirmar se o conteúdo da hérnia inclui intestinos ou outros órgãos abdominais.

Para hérnias que se abrem para a cavidade torácica, estudos de imagem, como raios X e ultrassonografia, são necessários para determinar quais órgãos são deslocados e em que medida.

Hérnias umbilicais podem ser tratadas?

As hérnias umbilicais podem variar em tamanho, podendo ter menos de um centímetro até quase três centímetros de diâmetro. Hérnias pequenas (com menos de um cm) podem fechar espontaneamente entre os três e quatro meses de idade, sem necessidade de tratamento.

As hérnias umbilicais maiores, ou que não se fecham sozinhas nesse período podem exigir cirurgia, especialmente se uma parte de um órgão intestinal se projetar através dele.

 

Como a hérnia é essencialmente um buraco na parede do corpo que não deveria estar lá, a cirurgia é indicada para reparar o defeito e para que os órgãos permaneçam onde deveriam estar. O sucesso do reparo depende do tamanho do defeito, se os órgãos sofreram danos quando foram herniados e a saúde geral do animal de estimação.

Se a hérnia for grande ou contiver órgãos abdominais, a cirurgia deve ser realizada o mais rápido possível para evitar danos aos órgãos ou até a morte. Seu veterinário pode avaliar seu animal de estimação se você suspeitar que ele possa estar sofrendo de uma hérnia e determinar o melhor curso de ação.

As hérnias podem ser prevenidas?

Em muitos casos de hérnias congênitas, é impossível prever quando e onde elas ocorrerão, embora algumas raças sejam consideradas mais predispostas a apresentar diferentes tipos de hérnias.

É recomendado aos donos de cães que tenham qualquer forma de hérnia congênita que evitem a reprodução, ou tomem cuidado redobrado com os filhotes, pois existe uma grande chance do defeito ser repassado aos descendentes.

Embora as hérnias possam ser angustiantes e, às vezes, até ameaçar a vida, a maioria dos animais de estimação com hérnia umbilical que recebem diagnóstico imediato são tratados com sucesso e passam a viver vidas longas e felizes.

Se você encontrar um inchaço ou uma massa inesperada no seu animal de estimação, mesmo que não pareça incomodá-lo no momento, não espere para ser avaliado. O diagnóstico precoce da hérnia umbilical é a chave para excelentes resultados. Ter um cão é sinônimo de alegria e amor incondicional, por isso, a melhor de maneira de retribuir é cuidar bem do seu amiguinho!


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas