Você está aqui: Início » Curiosidades » Raio X em cachorro

Raio X em cachorro

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A medicina veterinária tem avançado a cada ano e, cada vez mais, dispõe de novas tecnologias para cuidar dos nossos pets da melhor forma possível. A radiografia em animais revolucionou os tratamentos veterinários, sendo um recurso de imagem muito requisitado em diversos casos. Nele é possível avaliar ossos e órgãos para analisar o quadro clínico do seu animal de estimação. Entenda um pouco mais sobre o Raio X em cachorro.

Luxações ósseas, fraturas, problemas na postura, complicações no crescimento, doenças pulmonares, artroses, complicações na silhueta cardíaca e tumores ósseos podem ser estudados através do exame radiológico.

Se o seu cão vai passar por esse tipo de exame e você está buscando por informações, nesse artigo você vai encontrar tudo o que precisa sobre Raio X em cachorro.

Raio X em cachorro: digital

Existem dois tipos de Raio X em cachorro: o Raio X digital e o Contrastado. Ambos possuem aplicações diferentes.

Primeiro vamos entender do que se trata o Raio X digital e em quais situações ele é utilizado.

Essa técnica consiste na emissão de radiação X pelo corpo inteiro do animal. Esses raios atravessam os ossos e tecido, mas reagem diferentemente a cada um deles e essa diferença é registrada na chapa.

A radiografia digital é simples, rápida, indolor e tranquila, sendo feita em 20 minutos, aproximadamente.

Conheça as regiões e situações na qual a radiografia digital é empregada:

  • Abdômen: o Raio X feito nessa região pode constatar corpos estranhos, problemas de torção gástrica, obstruções gastrointestinais, grau de retenção fecal, problemas na bexiga, avaliação de cálculos urinários e até mesmo o número de fetos que uma cachorra está prestes a parir.
  • Tórax: a região, que fica um pouco acima do abdômen, permite observar doenças pulmonares, problemas na silhueta cardíaca, a situação do diafragma, existência de tumores no esôfago e traqueia, problemas cardiovasculares, etc.
  • Coluna vertebral: o Raio X digital na coluna vertebral tem mais veracidade quando feito com o animal relaxado, por conta disso é comum o cachorro receber algum tipo de analgésico antes. O exame permite avaliar a coluna cervical, vértebras, o cervicotorácico, vértebras caudais, etc.
  • Membros torácicos e pélvicos: a radiografia mostra com clareza os tecidos e os ossos dos membros.
  • Quadril: o cachorro passa por esse procedimento quando precisa avaliar luxações, fraturas ou verificar displasia coxofemoral. Nesse último caso o animal precisa estar sedado.
  • Crânio:o Raio X digital nessa região não é muito detalhista, mas é possível analisar dentição, cavidade nasal, fraturas, ATMs (temporomandibulares), etc.
  • Músculo esquelético: é possível verificar fraturas,  deformidades, infecções, patologias neoplásicas ósseas e até mesmo ajudar no monitoramento de cicatrização e desenvolvimento dos ossos.

Raio X em cachorro: contrastado

Esse segundo tipo de Raio X em cachorro não é tão conhecido quanto o Raio X digital.

Compostos atômicos como bário e iodo são injetados ou ingeridos pelos pets e, ao contrário da radiografia digital, esse procedimento é um pouco mais invasivo e demorado.

Mas, não precisa se preocupar. Esse exame é seguro ao animal, produz resultados mais detalhados e o veterinário consegue avaliar melhor a radiografia.

O Raio X contrastado é aplicado nos seguintes casos:

  • Trânsito Gastrointestinal: como o próprio nome já diz, esse exame avalia o trajeto que as substâncias ingeridas (os compostos atômicos citados acima) fazem pelo estômago. Com ele é possível descobrir obstruções, presença de corpos estranhos, alterações no trânsito intestinal, etc.
  • Uretrocistografia: esse procedimento é realizado através da uretra do animal a partir de uma sonda que introduz os compostos até preencher toda a bexiga do cachorro. O exame é um pouco invasivo, porém permite avaliar problemas no divertículo vesical, trato urinário e até mesmo verificar a integridade da região após um trauma.
  • Urografia excretora: o Raio X é feito para avaliar anormalidades nas bexigas, uretra, ureteres e rins (como danos no ureter ou pedra nos rins). Nesse caso, as substâncias são injetadas de maneira intravenosa.
  • Mielografia: o composto é injetado no entre o couro cabeludo e o crânio e serve para estudar o canal medular do cão.
  • Esofagograma: no esofagograma é preciso realizar um Raio X digital antes de fazer o contrastado. O exame é feito para estudar o caminho esofágico para identificar estenose ou áreas de dilatação.

Como esse tipo de Raio X em cachorro é um pouco mais agressivo é preciso realizar alguns procedimentos antes do exame.

Dependendo da região será preciso limpar o intestino do cão (isso é feito na base de laxantes), fazer jejum e retirar qualquer objeto metálico (como coleiras ou lacinhos).

Quando devo solicitar um exame de Raio X em cachorro

Apenas o veterinário pode solicitar o exame de Raio X no seu cachorro, porém, você pode ficar atento aos sinais que seu cãozinho lhe dá.

Nós sabemos que os cães são animais resistentes e só irão gemer de dor se o incômodo for realmente muito intenso.

Por isso é preciso ficar atento aos detalhes. Caso ele esteja mancando, com dificuldades de levantar, inchaços no corpo, irritação na tentativa de fazer carinho em determinada região e coisas do gênero são sinais que não devemos ignorar.

Se seu cão apresenta algum desses sintomas é aconselhável levá-lo ao veterinário para que ele avalie a situação e peça, de fato, o Raio X no cachorro.

Com os resultados dos exames o médico veterinário irá averiguar se há realmente algum problema com seu cãozinho e, se houver, irá prescrever todos os cuidados e medicamentos.

Caso você suspeite que seu pet tenha engolido algum objeto estranho (principalmente se for perfurante) não deixe de levá-lo ao veterinário para avaliar os riscos através do Raio X.

O preço do exame de Raio X em cachorro é muito variável. Irá depender da região, se o cachorro será sedado ou não, qual dos tipos de Raio X precisará realizar, etc.

Muitas vezes nossos cãezinhos aprontam e se machucam, mas sofrem em silêncio. Fique atento a qualquer sinal de incômodo do seu pet e não hesite em levá-lo ao veterinário para fazer um Raio X no cachorro. Para saber mais acesse o MelhorAmigo.Dog

 


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas