Início » Cuidados » Petiscos para cães: Quais os benefícios e os perigos?

Petiscos para cães: Quais os benefícios e os perigos?

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Seja para agradar o animal ou para incentivá-lo no adestramento, os petiscos invadiram os pet shops e já fazem parte do dia a dia da maioria dos animais domésticos. Para os cães, por exemplo, já são oferecidos petiscos dos mais diversos tamanhos, sabores e cores, preparados especificamente para agradar o paladar canino.

Além disso, os petiscos para cães evoluíram e hoje apresentam variadas finalidades e propósitos, podendo facilitar e descomplicar muitos problemas que surgem durante a vida do seu animal. Mesmo assim, na hora da escolha do petisco, é preciso cuidado redobrado e uma boa conversa com o veterinário para saber exatamente o que está você irá oferecer ao seu cão.

Petisco

Quais os tipos de petiscos?

Os petiscos para cães mais populares são os industrializados, oferecidos em embalagens fechadas e vendidos em lojas específicas para animais. Os mais comuns são os biscoitos a base de leite, os ossos e os petiscos de frango ou carne, como os conhecidos bifinhos. Além desses modelos, com a expansão do mercado para animais domésticos, hoje é possível encontrar os mais diversos tipos de petiscos industriais, de diferentes sabores e formas.

Também existem os petiscos naturais feitos em casa, produzidos a partir de frutas, verduras e carnes, de acordo com receitas específicas. Pedaços de frutas, legumes ou carnes cozidas também podem ser oferecidos como petiscos mais simples.

Quais os benefícios dos petiscos?

A maioria dos petiscos para cães possuem como objetivo principal agradar e contentar o animal, funcionando como um mimo para o cãozinho. Além dessa função de presentear o cão, os petiscos também possuem a função de auxiliar no adestramento do animal. Não é novidade que oferecer um presente ao fim de uma atividade ser realizada corretamente auxilia no aprendizado do cão, como após o xixi ser feito no lugar correto, após aprender a sentar e deitar, entre outros exemplos.

Os petiscos para cães também adquiriram propósitos mais complexos com a evolução do mercado de pets shops, colaborando para melhorar a qualidade de vida do animal. Assim, surgiram os petiscos direcionados para a saúde bucal do cão, que ajudam a prevenir e remover o tártaro, a evitar o mau hálito, e a impedir que outros problemas dentários se desenvolvam.

Quais os perigos dos petiscos?

Da mesma forma que alguns alimentos industriais ou mesmo naturais podem causar alergias e incômodos aos seres humanos, os petiscos para cães também merecem atenção. Seja um petisco industrial ou um petisco natural, lembre-se sempre de conversar previamente com um veterinário para saber qual o petisco indicado para o seu animal, levando em consideração a raça, a idade e também a pré-disposição para desenvolver alergias.

É necessário, por exemplo, testar o petisco antes de fornecer um grande pedaço ou uma grande quantidade ao seu cachorro. Oferecer um pequeno pedaço e observar as reações é o caminho mais seguro para evitar consequências indesejadas, como alergias, problemas no intestino ou estômago, vômitos, enjoos ou diarreias. Cachorros com idade mais avançada, obesos ou com imunidade baixa devido a problemas de saúde, por exemplo, podem reagir mal ao receber um petisco.

Além disso, é importante não exagerar na quantidade de petiscos dada ao animal. Os petiscos para cães nunca devem substituir a alimentação normal e diária, mas apenas serem dados periodicamente, de acordo com as indicações de um veterinário. Petiscos em doses exageradas e frequentes podem levar o animal a um quadro de obesidade, principalmente devido aos níveis de açúcar e calorias contidas em alguns deles.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas