Você está aqui: Início » Doenças » Gripe em cachorros – você sabe o que é?

Gripe em cachorros – você sabe o que é?

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você sabia que existe gripe em cachorros? Assim como acontece conosco, os cachorros também podem ficar gripados, e serem acometidos por uma série de sintomas!

Um ponto que vale ser destacado, é que a gripe em cachorros não é transmitida para seres humanos, mas pode ocorrer sim de um cão transmitir para o outro!

De maneira mais generalizada, a gripe canina é um tipo de doença de caráter respiratório, e é bastante contagiosa entre os cães.

O vírus denominado por H3N8 foi primeiramente diagnosticado em cavalos – e isso aconteceu a cerca de 40 anos! Porém, somente no ano de 2004 foi feito o primeiro relato em cachorros.

As causas envolvem alguns aspectos, assim como os cuidados que precisam ser atribuídos ao nosso melhor amigo de 4 patas!

Quem tem um pet, sabe como pode ser doloroso descobrir que ele está doente e precisando de um pouco de colo e cuidados a mais! Mas, fora todo o amor que você pode lhe ceder, algumas dicas e orientações podem ser realmente fundamentais para garantir o bem estar do seu companheiro!

Se você quer se inteirar melhor sobre esse assunto e entender como lidar em caso de descobrir que seu cão está com gripe, saiba que esse é o conteúdo certo! Confira mais sobre o assunto agora mesmo!

Gripe em cachorros – quais são as causas desse tipo de problema de saúde canina?

A gripe canina é causada por meio de um vírus, que é denominado como H3N8. Trata-se de um tipo especifico de vírus, que provoca sintomas somente em cachorros e não apresenta risco para humanos!

Esse vírus é orginalmente o vírus influenza que inicialmente era presente em cavalos, mas posteriormente ele acabou se espalhando para os cães por meio de uma adaptação – ou seja, hoje se acredita que ele tenha se tornado um vírus exclusivo para a comunidade canina.

A sua transmissão se dá por meio do ar (secreções respiratórias), de forma bastante semelhante ao que acontece com a gripe em humanos, que pode ser transmitido de uma pessoa para a outra.

O contato direto entre cães pode contribuir para que a doença seja transmitida, e isso pode ser intensificado por meio de objetos contaminados, como brinquedos, bolinhas, tigela de ração que sejam compartilhados por mais de um cão, por exemplo.

Até mesmo pessoas podem transmitir o vírus para os cães (mesmo que a doença não venha a se manifestar em humanos), podendo o vírus estar nas mãos ou até mesmo presente nas roupas.

Vale destacar que o vírus tem a capacidade de se manter vivo e com poder infectante em uma superfície (como as relacionadas acima) por aproximadamente 48 horas e nas mãos por 12 horas.

Outro ponto que vale a pena destacar, é que os cães acabam tendo um nível mais elevado de vírus presentes em suas secreções – e isso pode durar entre 2 e 4 dias em média após terem sido expostos aos vírus.

Em alguns casos, os cães acometidos pela doença podem acabar não evidenciando sinais clínicos, principalmente na fase inicial, principalmente ainda nos primeiros dias, quando estão mais propícios a espalhar o vírus.

 

Quais os sintomas da gripe canina?

 

Em média, cerca de 20% dos cães que forem expostos ao vírus poderão ter riscos de serem infectados com a gripe canina! Mas, isso não significa que  eles poderão evidenciar sinais da doença, mesmo sendo capazes de acabar propagando a doença.

Isso porque 80% dos cachorros infectados que acabem desenvolvendo a gripe podem evidenciar sinais bem leves, como por exemplo, a tosse persistente que não responde positivamente ao tratamento, coriza, espirros e até mesmo febre.

Todos esses sinais podem ser bem parecidos à conhecida “tosse de canil”. Já nos demais casos, os cães acometidos pelo problema podem apresentar agravantes.

Alguns cães infectados podem acabar desenvolvendo pneumonia e até mesmo apresentar alguma dificuldade para respirar. Em situações mais severas, eles ainda podem ter algum tipo de sangramento nos pulmões.

Em grande parte dos casos, a gripe em cachorros pode destacar sinais da doença no prazo de 2 até 4 dias – e isso  se dá assim que eles forem expostos ao vírus.

Como é o diagnostico da gripe canina?

O veterinário poderá suspeitar da gripe em cachorros se o pet estiver evidenciando alguns sinais, como os revelados no tópico anterior, mas o problema também pode ser diagnosticado em uma avaliação clinica mais minuciosa.

Nesse caso, poderá ser promovido um teste de anticorpos específicos, que permitem uma identificação mais assertiva do problema.

Nesse caso, devem ser realizadas duas amostras de sangue, sendo a primeira tomada ainda durante uma possível suspeita da gripe e a segunda depois de um período de cerca de 10 até 14 dias depois.

Vale destacar que não existe até os dias de hoje um tratamento para poder lidar diretamente com a gripe canina, mas isso não quer dizer que o seu pet não dependerá de alguns cuidados específicos – e claro muito carinho e amor!

É importante dedicar atenção para que o cão não fique desidratado, bem como cuidar para que ele tenha uma boa alimentação e até mesmo uso de medicamentos que ajudem a aliviar alguns dos sintomas comuns da gripe.

Cães que acabem manifestando um grau mais grave da doença podem ainda depender de oxigênio suplementar, mas isso será algo que o veterinário poderá ou não determinar!

Ele ainda poderá indicar alguns antibióticos para ajudar a prevenir ou tratar qualquer tipo de infecção secundária, principalmente se houver um quadro de pneumonia ou uma secreção nasal muito grossa ou com tonalidade esverdeada.

A boa noticia que a recuperação é basicamente rápida, e muito provavelmente seu melhor amigo poderá apresentar uma melhora em poucos dias. A taxa de mortalidade também é baixa, sendo de 1% até no máximo 5% onde os casos acabem se revelando muito mais graves do que o convencional.

Agora que você já sabe sobre a gripe em cachorros, ficará mais fácil cuidar do seu melhor amigo de 4 patas! Para conhecer mais dicas sobre seu pet, acesse o site MelhorAmigo.dog!


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas