Início » Doenças » Gastroenterite em cães: causas, sintomas e tratamento

Gastroenterite em cães: causas, sintomas e tratamento

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Gastroenterite canina

A gastroenterite em cães é o termo médico para fazer referência à inflamação do trato gastrointestinal – geralmente o estômago e os intestinos. Ela pode ser causada por infecção de bactéria, vírus, parasitas ou reações a medicação e comida.

Geralmente, o problema causa dores abdominais e desconfortos ao cão, incluindo diarreia ou vômito. Isso torna a gastroenterite em cães razoavelmente séria. Por isso, é importante conhecer mais sobre a condição, para poder identificar e saber o que fazer a respeito do problema.

Saiba mais sobre a gastroenterite em cães, quais são suas causas, sintomas, forma de realizar o diagnóstico e principais tratamentos:

Principais causas da gastroenterite em cães

Há diversas causas possíveis para a gastroenterite em cães. Geralmente, um veterinário investiga as causas mais comuns em primeiro lugar, para realizar o diagnóstico. Entre estas principais causas, destacam-se:

  • Infecções sistêmicas como pneumonia, infecção no trato urinário e meningite;
  • Obstruções internas por corpo externos;
  • Tumores;
  • Envenenamento;
  • Insuficiência do pâncreas;
  • Problemas hormonais, em especial na tireoide;

Há possíveis outras causas, um pouco mais raras, considerando que a gastroenterite em cães é bastante abrangente.

Sintomas da gastroenterite em cães

A maior parte dos cães com o problema demonstram episódios intermitentes de vômito e diarreia. Geralmente, o vômito inclui uma coloração amarelada da bile, além de bastante espuma. Alguns cães ainda demonstram estarem engasgados após comer ou beber algo.

A diarreia costuma ocorrer entre três e seis vezes ao dia, sempre com consistência leve e, geralmente, com cor muito clara. É comum que o cão fique menos ativo e tenha seu apetite diminuído, e pode ser observada uma febre leve no cão. Em função da diarreia e do vômito, o cão pode ficar rapidamente desidratado.

Diagnóstico da gastroenterite

O diagnóstico da gastroenterite em cães é feito através da exclusão de probabilidades. Isso significa que o veterinário precisará eliminar opções mais sérias de problemas clínicos antes de fazer o diagnóstico da condição.

Para isso, são realizados dois tipos de testes diferentes. A primeira parte, é uma análise física do cão, para determinar a situação do animal. Em seguida, é realizado um estudo do histórico de saúde do animal, para determinar predisposição a ter algum tipo de doença além da gastroenterite para ser identificada no animal.

O diagnóstico específico da gastroenterite em cães também envolve a determinação da severidade e da duração dos sinais clínicos e do histórico médico. Só com todos estes testes realizados é possível determinar a existência de gastroenterite em cães.

Qual o tratamento da gastroenterite?

Em geral, boa parte do tratamento da gastroenterite em cães diz respeito aos seus sintomas. A parte mais importante e urgente da condição diz respeito a tratar a desidratação e restaurar o balanço de eletrólitos do sangue, repondo os minerais necessários para isso. Dependendo do nível de desidratação, a recuperação de fluidos pode ser dado de forma oral, subcutânea ou – em casos mais graves – intravenosa.

Com a urgência da desidratação tratada, pode ser necessária a utilização de antibióticos, se os sinais clínicos forem um pouco mais graves, e for identificada a infecção bacterial como uma das causas do problema.

Medicamentos contra a diarreia ou que alterem a atividade do trato intestinal podem ser necessário para algumas condições específicas – especialmente após a obstrução intestinal ou outros defeitos anatômicos terem sido descartados. A utilização deste tipo de medicamento só pode ser feita com um bom nível de certeza a respeito do diagnóstico.

Também é necessário diminuir o fornecimento de comida por algum tempo durante o tratamento. Ela deve ser reintroduzida aos poucos, para não gerar nenhum tipo de choque no animal. Obviamente, todas estas recomendações devem ser feitas pelo veterinário, e todas as decisões devem partir do profissional responsável pela saúde do seu cão.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas