Você está aqui: Início » Cuidados » Fitoterapia em cães: como tratar seu bichinho com plantas

Fitoterapia em cães: como tratar seu bichinho com plantas

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um remédio muito antigo para o tratamento de doenças são as plantas e ervas medicinais, e esse tratamento pode ser aplicado aos cachorrinhos também, através da fitoterapia em cães.

Mas o que é a fitoterapia?

Fitoterapia é fazer o uso de plantas, ervas e flores para tratar alguma doença ou sintoma dela. Esse método de tratamento é utilizado há muitos anos pelos humanos, tanto para ajudar a limpar feridas quanto ingerindo para cura de sintomas.

E não são apenas as partes exteriores da planta que possuem vantagens, muitas raízes possuem grande propriedade curativa, e a fitoterapia aproveita de toda a planta para produzir os efeitos de cura desejados.

Um exemplo que pode facilitar o seu entendimento é o uso do chá de camomila para acalmar, ou a menta para melhorar sintomas respiratórios.

Esse tipo de medicação que é a fitoterapia pode ser aplicada aos animais também, e está cada vez mais sendo utilizada para tratar sintomas físicos e psicológicos em cães.

A fitoterapia começou a ser utilizada na cultura oriental, inclusive em casos veterinários, pois já tinham o conhecimento do poder de cura que as plantas possuem.

Porém, apesar de serem naturais, os remédios fitoterápicos precisam ser cuidados da mesma maneira que os alopáticos. O dono do animal deve se ater a ministrar o medicamento nos horários corretos, seguindo a dose prescrita pelo veterinário e pelo tempo que foi determinado.

Quais as vantagens de usar fitoterapia em cães?

A fitoterapia em cães é muito vantajosa graças ao seu baixo custo e grande eficiência, além de não produzirem grandes efeitos colaterais.

Além disso, é uma maneira menos invasiva de tratar algum sintoma de seu cachorrinho, já que o que estará sendo ingerido são plantas medicinais que auxiliarão no tratamento, sem que necessite o envolvimento de medicamentos quimicamente produzidos.

Os cães também tem uma melhor relação com os medicamentos fitoterápicos, graças as diversas maneiras que podem ser ministrados, como: infusões – que são feitas através de injeções diretamente na veia do animal, xaropes – ingeridos via oral, e até mesmo comprimidos triturados.

Além desses possíveis métodos de ministrar os medicamentos, alguns remédios fitoterápicos podem ser fornecidos ao animal através de inalações. E claro, podem ser dados em forma de cápsulas.

Porém, como citado anteriormente, é necessário que sejam prescritos por um médico veterinário, assim como medicamentos alopáticos – que são conhecidos como medicina tradicional.

Se misturadas ervas sem um conhecimento prévio, pode acabar gerando alterações crônicas no seu cãozinho, causadas por efeitos colaterais irreversíveis.

Por isso, o dono deve se atentar e manter contato com um médico veterinário para ministrar ao seu cão quaisquer tipos de remédios, sejam eles alopáticos, homeopáticos ou fitoterápicos.

Como funciona a fitoterapia em cães?

A fitoterapia não é inofensiva, e requer diversos cuidados, ainda mais por existirem diversas plantas tóxicas para os cachorros.

Pense: se a planta fitoterápica possui substâncias que podem aliviar e curar sintomas, alguma alteração elas causam no organismo, certo? E é justamente por conta desses princípios ativos presentes nelas que se deve ter uma atenção tão grande quanto de medicamentos quimicamente produzidos.

A ação dos medicamentos fitoterápicos no organismo do cão irá ser muito parecida com a de medicamentos fármacos:

  • Primeiro, o organismo do cão irá liberar os princípios ativos da planta
  • Então, irá absorver suas propriedades e distribuí-las no corpo canino
  • Por último serão metabolizados e então, excretados pelo animal.

O processo é o mesmo, e por ser feito através de produtos naturais acaba sendo melhor ainda por não ser tão invasivo quanto processos alopáticos.

Quais são as plantas medicinais mais recomendada para os cães?

Existem alguns produtos que são muito comuns na fitoterapia em cães. Vamos citar quais deles são os mais conhecidos:

  • Babosa

A babosa é altamente utilizada para tratar feridas e diminuir as inflamações presentes na pele, já que acelera a regeneração das células dos tecidos. Além disso, possui propriedades anestésicas, que acabam diminuindo a dor local do animal.

Pode ser usada também para tratamento interno, de maneira a melhorar sintomas gastrointestinais do cão e gerar uma melhora no sistema imunológico do animal.

  • Camomila

A camomila não possui propriedades apenas para humanos. Essa planta é capaz de tranquilizar o cão, e gerar uma leve sedação. Também é altamente indicada para casos de cães com problemas gástricos, que envolvam digestão e vômitos.

  • Arnica

Essa planta pode ser utilizada como uma pomada, que se usada em um local inchado ou machucado, pode reduzir as dores e o inchaço.

  • Menta

A menta é muito utilizada para a inalação do cão, a fim de tratar problemas respiratórios.

Além disso, a menta serve também para ingestão comum para o tratamento de vermes, como giárdias.

  • Harpagófito

Essa planta é um potente anti-inflamatório natural para os cães. Pode ser usado em qualquer situação que possa vir a gerar uma inflamação, principalmente casos de machucados ou problemas musculares ou articulares.

  • Valeriana

A valeriana é muito utilizada na fitoterapia para cães, já que serve para acalmar o animal, diminuindo estresse e nervoso, além de ajudar em casos de cães que possuam quadros de insônia.

A valeriana é conhecida por ser um bom relaxante muscular, e serve também para aliviar dores e inflamações no corpo do cão.

A fitoterapia em cães ajuda de fato?

Sim, graças às propriedades que as plantas possuem tanto de curar e aliviar sintomas como também para calmantes e relaxantes musculares, é de grande notabilidade a ajuda fornecida pelo tratamento fitoterápico.

E assim como citamos anteriormente neste artigo, e é sempre bom reforçar, não se deve ministrar qualquer tipo de medicamento para cães sem a prescrição de um médico veterinário, ainda mais que o cão pode sofrer efeitos colaterais irreversíveis.

Ao levar seu cãozinho no veterinário, pergunte a ele se você pode ministrar um medicamento fitoterápico para tais sintomas, e se ele autorizar, você poderá então fazer o uso da fitoterapia em cães.

 


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas