Você está aqui: Início » Doenças » Dirofilariose (Verme do Coração) – O que é? Como prevenir e tratar?

Dirofilariose (Verme do Coração) – O que é? Como prevenir e tratar?

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Já ouviu falar sobre Dirofilariose? Muito se aborda sobre vermes em cachorros e até mesmo sobre a importância da vermifugação ainda quando ele é um filhotinho, bem como da sua continuação ao longo da vida.

Mas, se tratando do verme do coração dos cães (Dirofilariose), poucas pessoas possuem um amplo conhecimento – e até mesmo não consideram os cuidados básicos para a prevenção.

A prevenção é a melhor medida contra esse tipo de parasita que pode até mesmo levar o cachorro á óbito, sabia?

A Dirofilariose, ou verme do coração consiste em um tipo de parasita que é denominado por Dirofilária Immitis, que é o principal agente dessa doença.

Ele é bem parecido com a lombriga, mas no lugar de simplesmente se alojar junto aos intestinos do cão, ele acaba ficando dentro do coração, e por esse motivo acarreta uma extensa lista de problemas e complicações bem severas.

Essa é uma doença que possui relação direta com a quantidade de vermes, bem como a duração total da infecção e até mesmo a reposta proveniente ao hospedeiro – que no caso, nada mais é do que o cão!

A transmissão da Dirofilariose ocorre quando um mosquito já infectado pelas larvas, denominadas por microfilárias, prontamente acaba picando o cachorro, e no processo de alimentação as larvas acabam sendo transferidas pelo aparelho bucal do mosquito, caindo diretamente na corrente sanguínea do cão!

Como o cachorro pode acabar contraindo a Dirofilariose?

Como dito acima, a transmissão é feita a partir do momento que um mosquito infectado acaba picando o cão, fazendo a transmissão dos parasitas que caem diretamente na sua corrente sanguínea!

E o processo nem precisa de muito para acontecer! Para que somente duas dirofilárias, sendo um macho e a outra fêmea, sejam prontamente passadas para o cão e o problema já estará consolidado.

Essas duas dirofilárias irão crescer e depois de alojar dentro do coração do cachorro, e a partir daí iniciarão um processo de reprodução o que permitirá a geração de mais e mais microfilárias.

Elas somente poderão se desenvolver no interior do mosquito, mas é somente no corpo do cão que elas poderão conseguir de tornar adultas dentro do corpo do cão se houver mosquitos que suguem o sangue do animal contaminado com as microfilárias.

Diante disso, se o cachorro acabar sendo picado algumas vezes por mosquitos parasitas e não houver um controle sobre essa questão, poderá chegar um determinado momento que o coração do animal começará a ter dificuldades de bombear o sangue de forma correta.

E infelizmente, quando isso acontece, as chances do cão acabar indo à óbito são bastante significativas – e dependendo do grau, poderá ser ainda irreversível.

Para se ter uma noção mais aprofundada da gravidade do problema, esses vermes adultos podem atingir impressionantes 30 cm até 35 cm de comprimento.

Agora, tente imaginar dezenas desses parasitas dentro do coração de um cão? Fica ainda mais evidente entender porque o bombeamento do sangue fica sendo uma ação praticamente impossível!

 

Essa é uma doença bastante recorrente? O que você deve saber?

Na verdade, a incidência da Dirofilariose pode acabar variando bastante da localização, porém, trata-se de um problema já disseminado.

Algumas regiões acabam assumindo um maior destaque para esses tipos de casos de vermes do coração em cães, como lagos e lagoas, por exemplo.

Um exemplo disso acaba sendo a Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, onde são apresentados grandes riscos para os animais que não estejam devidamente protegidos.

Tanto é verdade que essa é uma localidade considerada como endêmica da Dirofilariose, sendo que há muitos mosquitos e também animais parasitas por lá!).

Mas, ao saber disso, você pode estar pensando – ah! Tudo bem! Eu moro longe tanto de lagos como de lagoas e nem estou no Rio de Janeiro. Não preciso nem me preocupar com uma doença dessas, certo?

A resposta é uma só: absolutamente errado! Na verdade, não é bem assim e quem possui um pet e quer seu bem jamais poderá descuidar da sua saúde nem por um segundo que seja.

Um caso bastante comum hoje em dia é que o aumento da doença tem se tornado um sinal de alerta e isso possui uma explicação bastante razoável.

Muitos tutores estão levando seus pets consigo nas suas viagens, seguindo para regiões mais  endêmicas – mas, o problema não está no fato de levar seu cão para viajar, e sim em fazer isso sem adotar medidas preventivas.

E como é possível prevenir meu cãozinho?

Se você gosta de viajar com seu cão, precisa ter em mente que poderá estar o expondo ainda mais á Dirofilariose. E mesmo que você não leve ele com você, outras pessoas provavelmente farão isso e trazer seus cães infectados, por exemplo.

A melhor maneira de evitar que ele acabe tendo maiores chances de contrair o verme do coração é conduzi-lo a uma profilaxia, que poderá evitar que seu cão possa ser picado por um mosquito contaminado.

Esse tipo de prevenção é feita mensalmente, por meio do uso de medicamentos específicos pra prevenir a Dirofilariose.

Outra medida pode ser o uso de vermífugos de amplo espectro, que não somente ajudam na prevenção contra infestações de vermes intestinais, como também atuam contra a ocorrência da Dirofilariose.

A melhor maneira de dar esses passos é, antes de qualquer coisa, conversar com um médico veterinário de sua confiança, pois, ele poderá lhe indicar qual poderá ser o melhor remédio.

Isso porque há inúmeras diferenças entre os medicamentos que podem ser adotados, e é fundamental que um especialista faça uma minuciosa avaliação do cão para poder decidir qual poderá ser o caminho mais adequado.

 

E o tratamento  do verme do coração?

O tratamento poderá ser voltado para matar os parasitas já adultos ou até mesmo as microfilárias – o primeiro caso não está sendo mais tão indicado, uma vez que os parasitas mortos no corpo do cão podem acarretar outras complicações.

O médico veterinário que deverá determinar o tratamento a ser seguido para poder lidar com o caso de Dirofilariose do seu cão!


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas