Você está aqui: Início » Curiosidades » Calmante para cachorro realmente funciona?

Calmante para cachorro realmente funciona?

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Assim como acontece com os seres humanos, os cães também podem sofrer com tensão e estresse. E nesse sentido, o calmante para cachorro pode ajudar muito no controle das emoções de seu melhor amigo.

Muitas pessoas adotam o uso de calmante para deixar os animais calmos, principalmente em situações que já preveem um elemento causador de medo ou estresse. Por exemplo, podemos citar o ano novo com um desses dias.

Mas para administrar calmante para cachorro em seu animal, é importante que você conheça um pouco melhor como funciona esse tipo de medicação, e quais são as possibilidades de uso.

Calmante para cachorro: seu aliado para manter o pet mais tranquilo

Se você tem um cachorro já deve ter identificado alguns momentos em que seu animal se sente acuado, ou mesmo fica muito estressado. E para conter essa situação – que pode ser extremamente desagradável para o pet – o calmante para cachorro pode ajudar.

  • Acalme seu animal:

O principal motivo de dar calmante para cachorro é mesmo deixar o animal mais confortável diante de uma situação que gere algum tipo de stress. O animal pode desenvolver uma situação de estresse que o impeça de dormir, e até mesmo gere outras situações comportamentais.

O calmante para cachorro atuará nos nervos, trazendo uma sensação de calma, segurança e bem-estar. Até mesmo pode ajudar a controlar aqueles animais mais agitados em uma ocasião de grande excitação.

Lembre-se, no entanto, que qualquer medicação só deve ser administrada mediante receita de um veterinário. Veja quais são as informações mais precisas a respeito de calmante para cachorro.

Tipos de calmante; o que é melhor para o seu animal?

Uma das coisas mais importantes a considerar na hora de dar calmante para cachorro é: qual é o melhor? Qual deles trará um resultado satisfatório, sem colocar a vida do animal em risco?

Você só deverá começar a usar calmante em seu cachorro se houver orientação médica. Mas além das drogas farmacêuticas, existem também alguns elementos naturais que podem ser usados para tranquilizar o animal.

  • Calmante natural:

A medicina natural é um sucesso entre as pessoas, e também pode fazer muito bem aos animais. O chá de camomila, por exemplo, é considerado um dos calmantes naturais mais eficazes. E essa erva pode ser utilizada também pelos cachorros.

Já o chá de valeriana pode ser utilizado quando o animal está num momento de grande tensão. É extremamente útil, mas tem um efeito bem potente, e, diferentemente da camomila, não deve ser usado “só para relaxar”.

Você pode usar esses ingredientes tanto em infusão, como chá, ou ainda em cápsulas, já que muitas farmácias de produtos naturais vendem

  • Calmantes químicos:

Os calmantes químicos são um pouco mais fortes, e acima de tudo, podem trazer contraindicações. Eles agem de maneira diferente no organismo do animal, e só podem ser usados mediante indicação de um veterinário.

 

Saiba qual é a dosagem ideal e como usar o calmante em seu cachorro

A dosagem é uma das coisas mais importantes quando falamos de qualquer tipo de medicação. Mesmo para quem usa calmante para cachorro natural, é importante controlar o uso.

Muita gente costuma dar calmante para cachorro sem orientação médica, e isso pode colocar o seu animal em risco. É importante leva-lo ao médico ao menos esporadicamente, e renovar as orientações sobre uso de calmante.

Mas acima de tudo: você não deve manter o seu cachorro sob efeito continuo desses remédios. Se você tem um cachorro muito agitado, e sente necessidade frequente de acalmá-lo, use outras alternativas.

Passear mais, brincar mais, ou até mesmo utilizar terapias – como a acupuntura para cachorros – pode ajudar a manter o animal mais calmo, e sem fazer mal para o organismo ou para a saúde.

Em superdosagem, os calmantes para cães, mesmo os naturais, podem trazer complicações. Por isso, evite o uso indevido.

 

Em que situações usar o calmante? Quais momentos exigem o uso de calmante para cachorro?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o calmante para cachorro, e já entendeu que esse medicamento não deve ser usado o tempo inteiro, é importante entender em quais ocasiões ele deve ser aplicado.

Para isso, você precisa, antes de tudo, conhecer muito bem o seu cachorro. Você sabe quais são as situações que mais causam estresse, pânico e desconforto ao animal? Observe isso. Algumas das ocasiões são:

  • Festas e comemorações:

Comemorações em geral podem causar grande stress no cachorro, principalmente se são acompanhadas de fogos de artifício e ruídos muito altos. Jogos de futebol, ano novo, datas comemorativas em geral…se o seu cachorro demonstra medo dessas ocasiões, então use o calmante para cachorro.

  • Banho, tosa e veterinário:

Para outros animais, o momento mais difícil é o banho, a tosa ou a visita ao veterinário. E você também pode usar o calmante nessas ocasiões, fornecendo um pouco mais de conforto para o animal.

  • Mudanças:

Você já deve ter ouvido o ditado “mais perdido que cachorro em dia de mudança”. Durante esse processo, o animal pode ficar muito confuso e entristecido, principalmente aqueles que nunca mudaram de casa, ou que vieram de um resgate.

Vale a pena conversar com o veterinário sobre a possibilidade de usar um calmante para cachorro, e deixar o animal mais tranquilo durante a mudança.

Tente evitar situações de estresse para o seu cachorro, e só use o calmante quando necessário!

O mais adequado é que você evite as situações que causam pânico, medo ou inquietação em seu cachorro. Se ele não gosta de multidões, evite. Se não gosta de carros e motos, caminhe com ele no parque, e por aí vai.

Adaptar a sua rotina ao que o seu cachorro precisa é um gesto de amor e cuidado. Mas nem sempre isso será possível, e para essas ocasiões, utilize o calmante para cachorro como uma forma de tornar o momento menos tortuoso para o cão.

O calmante para cachorro serve como um auxílio, mas não deve ser uma regra. Dopar o seu animal não é um ato de cuidado.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas