Início » Cuidados » Cachorro sentindo dor: Saiba como identificar os sinais

Cachorro sentindo dor: Saiba como identificar os sinais

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Ter um animal de estimação significa ter um companheiro para todas as horas. Mas um cãozinho também requer atenção e cuidados, não raro necessitado de idas periódicas ao veterinário para checar se está tudo bem com a sua saúde.

Cachorro com dor

Mesmo quando sentem desconfortos ou se encontram doentes, é comum que os cachorros, de maneira geral, não demonstrem a dor que possam estar sentindo. Isso se deve, em partes, ao fato de eles não serem capazes de verbalizar o incômodo e serem mais tolerantes à dor do que os seres humanos.

Por isso, aprender identificar os sinais corporais de que seu pet está sentindo dor e que pode estar sofrendo de alguma doença é muito importante para saber quando é necessário fazer uma visita ao médico veterinário, para descobrir a origem do desconforto e tratá-lo corretamente.

Identificando a dor no seu cachorro

Ainda que o fato de não poderem falar e indicar onde está doendo dificulte um pouco o exame e diagnóstico do desconforto, os cães, de maneira geral, emitem outros sinais fisiológicos de que algo não vai bem com seu corpo. Porém, antes de criar uma agitação devido ao aparecimento de algum desses sintomas, é importante ressaltar que nem sempre o surgimento isolado de algum deles significa que algo está errado. Ao procurar por sinais de dor, busque sempre perceber uma manifestação combinada de sintomas e indícios.

Caso o seu cão tenha passado por algum procedimento cirúrgico recente, sentir dor é comum, mas não menos preocupante. Caso o médico veterinário não tenha receitado analgésicos a serem administrados durante o período de recuperação, uma nova consulta deve ser feita.

Problemas de mobilidade

Um dos sinais mais frequentes que podem indicar que seu cachorro está sendo incomodado por dores de alguma natureza são alterações na mobilidade. Se ele possui uma rotina enérgica, com bastante exercícios e de repente começa a evitar movimentar-se ou a mancar, apoiando o peso do corpo em apenas três patas, preste atenção. Passar longos períodos de tempo deitado, não se levantando nem para as refeições ou para fazer as necessidades é outro agravante que pode indicar que seu cão está sofrendo de dor moderada ou aguda.

Mudanças posturais e respiração

Quando estão sentindo dor, cães podem manifestá-la através de alterações na postura de descanso que costumam adotar. A cauda entre as patas traseiras pode ser um sinalizador importante que indica a presença do desconforto, especialmente se o hábito era manifestar um movimento mais ativo nessa região.

Coluna arqueada e rigidez ao andar ou manter-se em pé são outros indicadores de que as coisas não vão bem e que seu animal pode estar sofrendo de algum tipo de dor. Se seu cão ofega sem nenhuma motivação aparente, em especial em dias mais frescos ou frios, ele pode estar tentando mostrar que está sentindo dor, por isso, fique sempre atento ao ritmo de respiração do seu animal.

Alterações de humor

Quando se está sentindo dor ou ferido, é comum que animais assumam uma postura defensiva, como um instinto de proteção que entra em cena para impedir que eles sintam mais dores. Por isso, o surgimento de um comportamento agressivo incomum no seu animal pode ser um indicativo importante de que dores e desconfortos o estão incomodando.

Tentativas de morder também se tornam comuns, até mesmo em cães costumeiramente amistosos e afáveis. Por isso, ao perceber essa alteração de humor e comportamento em seu animal, tenha sempre cuidado ao examiná-lo e ao aproximar-se.

O rosnado também pode surgir como um indicativo de que o seu cãozinho está em sofrimento por algum motivo, bem como o mostrar e ranger de dentes sem qualquer motivador aparente.

Problemas para dormir e rejeição à comida

Se seu cãozinho aparenta cansaço mesmo sem estar praticando atividades físicas que exijam esforço, é possível que ele não esteja dormindo como deveria. E essas mudanças no ciclo do sono podem ser causadas por alguma dor que o animal possa estar sentindo.

Quando possível, observe como se dá a rotina de sono do seu pet e verifique se ele está tendo uma noite de sono mais curta ou breves períodos de sonolência inquieta. Assim será possível dizer se ele não está dormindo bem, buscar o causador dessas alterações e tratá-lo de maneira correta.

Recusar comida e água é sempre um indicador de que algo não vai bem, podendo esse algo ser dor e desconforto em alguma região do corpo. Caso a perda de peso também seja observada, uma ida ao veterinário precisa ser agendada para exames mais detalhados.

Evasão à socialização e contato

É muito comum que cães que estão sentindo dor evitem o contato com pessoas – até mesmo seus donos – e outros animais. Esse comportamento ocorre graças ao instinto de proteção, que faz com que o animal evite qualquer tipo de situação que possa aumentar o seu nível de dor.

Se seu cão costuma sempre socializar com as visitas e com você e, de repente, prefere isolar-se, sem entrar em contato com ninguém, fique atento: ele pode estar sofrendo com algum desconforto. Evitar o toque, desviando o corpo e a cabeça também são fortes indicadores de que há dor em algum nível incomodando seu cãozinho.

O contrário também pode ocorrer: se seu animal não costuma tentar chamar a atenção e, sem motivação aparente, começa a fazer sinais de maneira exagerada, como pular, morder e latir, é possível que ele esteja tentando trazer a sua atenção ao problema dele, que são as dores.

Percebi os sinais. E agora?

Se você constatou que seu animal está sofrendo de dores ou de algum incômodo físico, é muito importante saber como proceder corretamente depois. Não administre medicamentos sem prescrição veterinária em hipótese alguma. O uso indiscriminado e incorreto de remédios pode piorar a situação do seu bichinho.

Essa dica vale especialmente para cães que passaram por algum procedimento cirúrgico recentemente ou que sofrem de algum problema crônico: por mais que você já possua algum medicamento para dor em casa, advindo de consultas e indicações anteriores, caso o período de administração da droga já tenha passado, não a utilize novamente sem saber com certeza o que seu cachorro tem.

Marque uma consulta com seu veterinário de confiança para que ele avalie o problema do seu cão e indique o tratamento correto para acabar com a dor.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nossas dicas