Início » Todos os posts » Curiosidades » Saiba mais sobre o adestramento para cachorros cegos

Saiba mais sobre o adestramento para cachorros cegos

Compartilhe!
  • 13
  •  
  •  
  •  
    13
    Shares

Treinar um cão, além de facilitar a rotina do animal e do seu dono, também é uma atividade que faz com que o pet gaste energia e desenvolva suas habilidades. É possível realizar diversos tipos de adestramento, que possuam vários níveis de habilidade e obediência, trazendo diversos benefícios para a convivência entre você e seu cão.

Adestrar cachorro cego

Porém, em alguns casos, o adestramento vai de uma alternativa a uma ferramenta necessária para que o seu cão tenha qualidade de vida e possa ter uma rotina saudável e proveitosa. Isso acontece com animais que possuam algum tipo de deficiência, como a visual.

É preciso paciência e muito carinho para lidar com limitações físicas do seu cãozinho durante o adestramento, sabendo quando serão necessárias adaptações e quais são os melhores exercícios para que ele desenvolva seus outros sentidos.

Adestrando um cão com deficiência visual

Se o seu pet já nasceu com limitações da visão, não existirá uma adaptação, ainda que o adestramento precise ser personalizado para que os limites do seu pet sejam respeitados e ele consiga, juntamente com você, criar uma rotina boa e tranquila para ambos, apesar da deficiência.

Caso a cegueira surja após a vida adulta e de maneira gradual, o primeiro passo é diagnosticá-la e saber como proceder de acordo com as orientações veterinárias. O uso de medicamentos, como colírio, normalmente precisam ser incorporados na rotina e devem fazer parte do adestramento especial do seu cãozinho.

Confira a seguir algumas dicas de treinamento para adestrar cães com deficiência visual.

Crie uma rotina para o seu animal

A existência de uma limitação visual, integral ou parcial, requer que o dono crie uma rotina mais rígida para o seu animal. Isso porque, ao habituar-se com determinadas tarefas repetidas todos os dias, o cachorro cria segurança em seus movimentos e consegue adaptar-se mais rapidamente às novas regras.

A criação de um dia a dia com hábitos requer alguns cuidados, como:

  • Não mudar as coisas de lugar com frequência e de maneira repentina. Manter móveis e objetos sempre no mesmo lugar vai fazer com que o seu pet saiba por onde está andando e o faça com a confiança de que não irá dar de cara em alguma mesa nova, por exemplo. Evitar mudanças bruscas também garante que seu pet não se machuque tropeçando em objetos. Caso necessite fazer alguma mudança na decoração, faça a adaptação sensorial do seu pet com o novo ambiente por pelo menos uma semana ou até ele se acostumar e conseguir andar pelo ambiente sozinho e sem tropeçar.
  • Mantenha os odores do ambiente. O olfato aguçado dos nossos amigos é um dos principais sentidos que os guiarão em situações de cegueira. Por isso, alterações repentinas nos cheiros da casa, ainda que mínimas, podem desorientar o seu cãozinho. Tenha cuidado especial com os objetos de uso frequente do seu pet, como a caminha ou cobertores. Nunca lave os dois de uma vez, procurando sempre lavar a caminha e usar o cobertor com o cheiro familiar como um norteador para o seu cãozinho não rejeitar o objeto.
  • Defina bem o espaço do seu cachorro. Os comedouros e bebedouros do seu animal devem ser sempre mantidos em um local que ele possa acessar facilmente, assim como os banheiro e o local de dormir. Dê preferência para espaços que ele já conheça, mesmo antes de perder a visão, e que fiquem no andar térreo.

Atenção aos bigodes

Perder parcial ou totalmente um dos sentidos não é nada fácil, ainda mais para cachorros, que gostam de estar sempre presentes e brincando com seus donos. Porém, a adaptação não é impossível, basta saber como estimular e manter ativos os outros quatro sentidos do seu pet.

A atenção sensorial do tato e do equilíbrio do seu bichinho é um fator muito importante que precisa ser trabalhado durante o adestramento. E o que muitos não sabem é que boa parte desse equilíbrio vem dos bigodes do seu amigo. Com eles, é possível saber se há algo à frente sem encostar ou esbarrar nesse algo. Por isso, evite ao máximo aparar os bigodes do seu cachorro, de forma que ele consiga utilizá-los ao máximo para suprir a falta da visão durante a adaptação à nova rotina.

Ensinando os comandos do jeito certo

Se você já adestrou o seu cachorro antes da perda de visão, é possível que alguns comandos possam ser mantidos nessa nova etapa de treinamento para adaptá-lo à nova rotina sem os olhos. Entretanto, caso seja a primeira vez que o cão é adestrado de maneira mais rigorosa, é preciso ter atenção para que os comandos sejam bem guardados e obedecidos.

A grande dica para adestrar cães com deficiência visual é incorporar um apito ao treinamento. A audição é outro dos sentidos mais aguçados dos cachorros e precisa ser explorada para que o adestramento traga resultados positivos. A escolha do apito também é importante: é possível usar tanto um convencional, esportivo, como um especial, que emite sons em uma frequência que apenas os cães conseguem ouvir.

Para que ele se habitue ao uso do apito e ao significado que você quer dar a ele (por exemplo, usar para chamá-lo ou para marcar comandos de ação), a tática da recompensa é uma das mais recomendadas. Sempre que ele fizer o que você deseja, o recompense com um petisco.

Optar por instrumentos e brinquedos de adestramento que emitam sons também vai deixar o treino e a brincadeira mais divertidos e simples de incorporar à nova rotina. A audição do seu cão passa a ser explorada novamente com este tipo de objeto e faz com que a visão deixe de ser necessária quando o assunto é diversão e exercício físico.

Os comandos “pare” e “fique” são dois dos mais importantes para um cachorro com deficiência visual. É necessário ensinar a ele quais são os novos limites da casa que não se pode transpor, de maneira a evitar acidentes e uma possível fuga.

Ajuda profissional é sempre bem-vinda

O ideal é que os comandos principais sejam ensinados pelo dono do cão, de forma que ele se acostume com mais facilidade aos novos hábitos. Mas caso o treinamento por conta própria não esteja surtindo efeito, procurar a ajuda de um adestrador profissional pode ampliar os horizontes e possibilidades para você e seu cãozinho.

Existem até vídeos especializados em adestramento para cães cegos disponíveis na internet. Ministrados pela adestradora japonesa Miki Saito e sua dachshund Nono, os vídeos permitem que qualquer adestrador amador consiga ensinar comandos simples ao seu cão com deficiência visual.


Compartilhe!
  • 13
  •  
  •  
  •  
    13
    Shares

Acompanhe nossas dicas